fbpx

Então decidi escrever este artigo para explicar o que chamo de NOVO EMPREGO. A economia digital ocupou o espaço da economia industrial e criou a sociedade da informação, que alterou os parâmetros de valor, competição e oportunidade.

Muitos interessados em empreender, por não encontrarem boas oportunidades de emprego, ou donos de barbearia, preocupados com custos aumentando e margem caindo, me perguntam se é condição de “vida ou morte” para construir uma renda mensal segura estar integrado ao novo modelo de economia digital, no qual o online e offline podem caminhar juntos e construir não apenas novos padrões de consumo, mas, novos modelos de negócio.

Nos anos 70, para ser empresário era necessário ter um ponto físico, funcionários e investir em diversos ativos, hoje esse muro ficou mais baixo: você pode montar um negócio a partir do seu celular, anunciar via Instagram e vender via WhatsApp.

O NOVO EMPREGO é o autoemprego, fenômeno sinalizado pelo economista norte-americado Jeremy Rifsin, nos anos 90 no livro: “ O FIM DOS EMPREGOS”.

A economia mudou, as regras mudaram, mas muitos ainda estão jogando com as regras antigas. Quem conseguir entender que a Era do Emprego acabou e que há novas regras para vender e comunicar seu produto ou serviço ao consumidor estará à frente desse jogo.

E é no meio on-line que o consumidor descobrirá que um produto ou serviço existe e o que defendo no modelo de negócio da Clinanci é que nosso empresário-parceiro se mostre no on-line, onde é mais barato e amplo para vender no off-line.

Vender no Método5 (exclusivo Clinanci) é pedir permissão para entrar em contato. É uma cadência com técnica que respeita a mente de quem compra e por isso funciona. Portanto é sim uma questão de vida ou morte se integrar a esse novo modelo digital.

E ai…? Qual jogo você vai jogar?

Marcelo Frossard
CEO Clinanci